2 de novembro de 2013

Aquila Pinot Grigio Blush 2012

Encontrei na loja Duty Free do aeroporto de Heathrow, em promoção: 3 garrafas por £20. Pinot Grigio rosado é raro, e eles sempre têm uma cor encantadora: aquele salmão clarinho, clarinho. Aquila Pinot Grigio Blush 2012 é produzido pela vinícola Viticoltori Friulani La Delizia, uma cooperativa de produtores da região de Friuli Venezia Giulia.
As uvas passam por maceração curta, de 6 a 8 horas, para se extrair só um pouco da cor, que já não é muito intensa, para começar. De resto, segue o processo de vinificação de vinhos brancos, com fermentação a baixa temperatura, e refinamento em tanques de inox.


É impressionante a elegância da sua cor na taça. É o rosado mais claro que eu já vi. É o que o nome diz, blush, mais um branco ruborescido, do que um rosé. Mas na verdade, eu o bebi mais com os olhos do que com a boca.
Ele é jovem, mas tem um caráter menos fresco do que eu esperava. No nariz, a primeira sensação foi de fruta cítrica, mas tendendo a toranja. Com boa intensidade aromática, apresentou também notas florais e um toque de mel. Inicialmente, estava um pouco mais gelado do que seria o ideal, o que percebi ao prová-lo. Lembrei da lição de degustação: quanto mais frio está o vinho, menos se percebe a acidez, e mais se percebe amargor e álcool. Mas sem problema, como fazia calor, o vinho esquentava rápido até uma temperatura mais adequada. Era seco, mas o aroma de mel predominava na boca. E tinha mais corpo do que eu esperava.
No entanto, estava mais do que adequado para o almoço deste sábado: costela de porco assada, com um tempero básico, de sal, alho, e algumas especiarias. Sem segredos, para o preparo. Amassam-se os temperos no pilão, espalha-o pela costela, e põe no forno, inicialmente fechada com papel alumínio, para ficar bem assado, e depois tira o papel, e volta pro forno para dar uma corada. Foi servido com farofa de couve, arroz, feijão, e salada.


Uma harmonização é boa quando a comida e a bebida proporcionam mais prazer juntos do que separados. Isso inclui disfarçar os defeitos um do outro, quando existem. E foi o que a costela fez: diminuiu a sensação de álcool, e equilibrou o aroma adocicado do vinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sintam-se livres para comentar, criticar, ou fazer perguntas. É possível comentar anonimamente, com perfil do Google, ou com qualquer uma das formas disponíveis abaixo. Caso prefiram, podem enviar uma mensagem privada para sobrevinhoseafins@gmail.com.