29 de julho de 2017

Champagne Piper-Heidsieck

No final de maio, estava no Pão de Açúcar, quando resolvi dar uma passada na sessão de vinhos (como sempre faço, em qualquer supermercado que entro), e me deparei com uma novidade: na prateleira, estava o Champagne Piper-Heidsieck Brut, sendo vendido por R$199. Eu fiquei tentado, afinal conheço há algum tempo a qualidade deste Champagne (e o acho melhor do que a linha equivalente da Veuve Clicquot, que normalmente custa acima de R$300). Mas não comprei, deixei pra outra vez.

23 de julho de 2017

Km 0 Gran Reserva Tannat 2009

Já comentei a respeito do Viognier e do Pinot Noir. Só faltava o Km 0 Gran Reserva Tannat 2009, para completar toda a linha Gran Reserva da Bodega Irurtia. E mais uma vez, o vinho demonstrou o alto nível de qualidade que a bodega investe nessa linha Gran Reserva.

22 de julho de 2017

Breve história do Vinho do Porto

Vinho do Porto é um vinho licoroso e doce, produzido no Norte de Portugal. Ele ficou conhecido por este nome, porque embarcava na cidade do Porto, para a Inglaterra, o país que tornou famoso este vinho. Mas as uvas são plantadas longe dali, no Alto Douro, no interior do país. Ainda hoje a cidade tem laços estreitos com a bebida, pois os maiores produtores mantém ali suas caves, ao alcance de milhões de turistas.

Mas você sabe por que a cidade do Porto foi escolhida como porto de embarque para exportação? Sabia que ele nem sempre foi licoroso? Que foi a primeira denominação de origem controlada do mundo? Sabe por que as caves ficam em Vila Nova de Gaia, e não no Porto? Então, leia este breve relato da história do vinho e entenda como ele se tornou o que é.

17 de julho de 2017

#encontrodevinhos Campinas mandou mal

No último sábado, ocorreu o Encontro de Vinhos Campinas 2017, com novo formato. Em vez de uma feira com expositores de vinho apresentando novidades, tentando atingir novos consumidores, e onde as pessoas costumavam comprar ou encomendar de caixa, virou um evento para comer e beber na praça. Respeito muito o trabalho do Daniel e do Beto, pessoas muito simpáticas, e que tenho certeza que dão um duro danado para organizar o evento; mas não gostamos do novo formato: eu, minha mulher, e meus amigos que foram juntos.

11 de julho de 2017

O rinoceronte de Dürer

Em maio de 1515, chegou em Lisboa um rinoceronte, enviado como presente ao Rei Manuel I. Era a primeira vez que um animal daquela espécie pisava em solo europeu, desde o Império Romano. O acontecimento chamou a atenção, e cartas com descrições e desenhos do paquiderme foram enviados para diversos cantos da Europa.

Rascunhos e desenhos chegaram ao artista alemão Albrecht Dürer, que fez então a gravura abaixo, sem nunca ter visto um rinoceronte. A obra ficou muito famosa por toda a Europa e, apesar das inexatidões, permaneceu como a imagem de referência dos rinocerontes na Europa por mais de 300 anos, tendo sido usado como base por diversos autores.

Rhinocerus (imagem obtida no Commons Wikimedia)

5 de julho de 2017

Domdechant Werner Hochheimer Riesling Trocken 2011

Não é todo dia que temos a oportunidade de tomar um Riesling de tão alto nível. A Mistral havia colocado os vinhos da Domdechant Werner em promoção no ano passado, e dois confrades compraram algumas garrafas do Domdechant Werner Hochheimer Riesling Trocken 2011, por pouco mais de R$100. Eu demorei, e perdi a barganha, mas ainda bem, tive a oportunidade de provar de algumas garrafas compartilhadas por esses confrades.