5 de julho de 2017

Domdechant Werner Hochheimer Riesling Trocken 2011

Não é todo dia que temos a oportunidade de tomar um Riesling de tão alto nível. A Mistral havia colocado os vinhos da Domdechant Werner em promoção no ano passado, e dois confrades compraram algumas garrafas do Domdechant Werner Hochheimer Riesling Trocken 2011, por pouco mais de R$100. Eu demorei, e perdi a barganha, mas ainda bem, tive a oportunidade de provar de algumas garrafas compartilhadas por esses confrades.


O perfil da vinícola não foge ao padrão alemão: propriedade familiar com séculos de história. Propriedade de 14ha localizada próxima ao município de Hochheim, está na mesma família desde 1780, quando o Dr. Werner, reitor (Domdechant) da Catedral de Mainz a adquiriu. Hoje está na 7ª geração da família, nas mãos do Dr. Franz Werner Michel, sua mulher e filha. 98% dos vinhedos é de Riesling, produzido nos diversos níveis de doçura.

Vale ressaltar que a vinícola é associada à VDP, a associação dos melhores produtores do país, que exige de seus associados níveis de qualidade muito superiores à legislação alemã, como limites de rendimentos, proibição à chaptalização, e uvas originárias de vinhedos classificados como Erstes Gewächs (premiers crus).

O vinho tinha cor dourada intensa, aroma intenso que remetia a damascos, pêssegos em calda, mel, e o característico petrolato da Riesling. É um vinho seco para os padrões alemães, que não determinam esse fator unicamente pela quantidade de açúcar residual, e sim pela proporção entre ele e a acidez. Ele possui esse ligeiro teor de açúcar que ajuda a equilibrar a vibrante acidez. Além disso, tem um bom volume de boca, sabor intenso, e longa persistência. Um espetáculo de Riesling.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sintam-se livres para comentar, criticar, ou fazer perguntas. É possível comentar anonimamente, com perfil do Google, ou com qualquer uma das formas disponíveis abaixo. Caso prefiram, podem enviar uma mensagem privada para sobrevinhoseafins@gmail.com.