23 de junho de 2018

Renoble Sauvignon Blanc 2013

A vista da janela de um avião frequentemente nos brinda com imagens muito interessantes. A vista dos topos cobertos de neve dos Andes, na travessia a caminho de Santiago, por exemplo, é arrebatadora.

O vôo entre Santiago e Puerto Montt é certamente menos impressionante, no entanto, não menos revelador em relação à peculiar geografia do país, ao menos para alguém atento e ciente. O trajeto de pouco menos de duas horas percorre o trecho em paralelo à pré-cordilheira e à Cordilheira da Costa, expondo, às vezes de forma incrivelmente nítida, como o seu relevo delimita e define suas 3 faixas longitudinais - Andes, Entre-Cordilheiras e Costa - que só há pouco tempo foram reconhecidas como fator de classificação regional dos vinhos chilenos.

9 de junho de 2018

Baron Knyphausen Riesling Trocken 2013

A importadora Vind'Ame, que começou as operações em 2015, têm uns Rieslings muito top em seu portfólio - de pequenas produções, orgânicos, gabaritados, e na maioria, classificados pela VDP. Isso tudo faz com que eles sejam meio caros, um pouquinho além do que eu estou disposto a pagar. Mas em fevereiro deste ano, a importadora lançou a operação de venda direta via e-commerce; e como promoção, ofereceu 30% de desconto em todo o portfólio, para os primeiros 100 clientes. Aí, alguns vinhos ficaram com preços bem mais acessíveis, e eu aproveitei pra comprar 2.

Um deles foi o Baron Knyphausen Riesling Trocken 2013, que saiu de R$179 por R$125. O nome da vinícola vem dos Barões de Knyphausen, que a adquiriram em 1818. No entanto, ela já produzia vinho desde 1141, quando pertencia ao monastério Eberbach. A propriedade está na região da Renânia (Rheingau) e produz 130 mil garrafas por ano, dentre os seus diversos vinhos.

2 de junho de 2018

Maryan Orange Barrel Fermented 2016

Os vinhos laranjas têm sido muito comentados na última década, mas continuam bastante invulgares, difíceis de serem encontrados, e normalmente bastante caros. Em 2014, eu participei de uma degustação dirigida na ABS Campinas, tendo como tema os vinhos laranjas do portfólio da importadora Decanter. Mas devido ao alto preço, desde então não tive muitas oportunidades de tomar vinhos deste estilo.

Este ano, aproveitei algumas oportunidades para comprar umas garrafas. É que a Winelands importou 3 rótulos diferentes de vinhos laranjas; e apesar de custarem mais de R$300 cada um, em diferentes oportunidades eles entraram na seleção 'Top do mês', oferecidos por R$100 para membros do clube.

26 de maio de 2018

Gustave Lorentz Crémants d'Alsace

No mundo dos espumantes franceses, os Crémants são como uma alternativa aos Champagnes, de espumantes de alta qualidade, só que de custo mais em conta. Há Crémants em diversas regiões da França; todos são produzidos pelo método tradicional, como em Champagne, mas cada um tem sua tipicidade própria, em função da região de origem, e variedades de uva utilizadas.

Os Crémants d'Alsace estão entre os de maior reputação. Produzidos na região da Alsácia, na fronteira com a Alemanha, o clima frio, apenas um pouco mais quente que o de Champagne, torna a região muito adequada a vinhos brancos e espumantes. Os Crémants correspondem a 25% da produção vinícola da Alsácia; e em comparação com todos os espumantes da França, tem o segundo maior volume de vendas, atrás apenas de Champagne.