18 de novembro de 2018

Ca'Di Rajo Raboso del Piave Riserva 2009

Uma região de clima fresco e úmido, e uma variedade de ciclo longo, e intensa adstringência. Parecem incompatíveis entre si, mas nenhum vinho é mais tradicional da zona de Piave do que os tintos feitos de Raboso.

Piave é uma DOC localizada no leste do Vêneto, Itália, ocupando uma extensa planície cortada pelo rio de mesmo nome. Tal como o restante do Vêneto, está 'espremida' entre os Alpes, ao norte, e o Mar Adriático, ao sul. Especificamente em Piave, o clima é influenciado principalmente pelo Adriático, que traz um importante volume de chuvas; mas não deixa de ser uma zona de clima fresco, como o restante do Vêneto. A DOC Piave é muito extensa, e permite vinhos brancos, tintos e doces. Atualmente, a maior parte dos vinhedos é plantada com variedades internacionais, como Merlot, Cabernets, Chardonnay, e até Carmenère. Mesmo assim, seu vinho mais icônico é o Raboso del Piave.

11 de novembro de 2018

Cointreau e as origens do triple-sec

Durante a Idade Média, os monges europeus costumavam criar remédios e fortificantes a base de vinho, temperados com ervas, frutas, raízes, etc. Com a popularização da destilação na Europa, o álcool passou a substituir o vinho. Além das propriedades medicinais próprias do álcool, os monges também perceberam que ele era mais eficiente para extrair as propriedades essenciais das plantas e raízes que utilizavam. Esses elixires foram precursores dos licores. Considerados fortificantes e profiláticos, passaram a ser muito requisitados nas cortes.

Com o tempo, o interesse por propriedades medicinais foi se esvaindo, e os licores ganharam o status de uma bebida alcoólica requintada. O Século XIX é repleto de histórias de empreendedores que inventaram algum licor e se tornaram milionários, adoçando os paladares cosmopolitas da Belle Epoque. A maioria dos licores mais tradicionais dos dias de hoje surgiram nessa época. É o caso do Cointreau.

Rótulo antigo de Cointreau (fonte: Pinterest)

21 de outubro de 2018

Covela Avesso 2014

Outro dia, ao dar uma passada de olho pela adega da Quinta do Marquês, fiquei surpreso ao ver o Covela Avesso por R$78. O vinho normalmente custa mais do que isso, e a adega da Quinta do Marquês não costuma ter preços competitivos. Neste caso, suponho que o preço mais baixo tenha a ver com a safra sendo vendida: de 2014, já com 4 anos. A maioria dos vinhos brancos não tem condições de ser armazenado por esse tempo, e eu sei que o Covela Avesso não foi feito para guarda. Mas, conhecendo a reputação do produtor e a qualidade do vinho, imaginei que valia a pena arriscar.

7 de outubro de 2018

Michel Fonné Riesling Tradition

Uma boa comida pede um bom vinho. E quando vamos a um bom restaurante, quase sempre carregamos nosso vinho. Não que os restaurantes não tenham boas cartas de vinho para oferecer, mas se podemos levar nosso próprio vinho, fica bem mais em conta; e, consequentemente, podemos ir mais vezes.