10 de março de 2020

Mega Spileo Grand Cave White 2016

Já comentei no blog a respeito de diversos vinhos da Cavino, e em especial dos vinhos do projeto Mega Spileo, em que a Cavino cultiva os vinhedos do milenar monastério que deu nome à linha de vinhos. Mas creio que faltava um texto dedicado ao Mega Spileo Grand Cave White 2016.

9 de fevereiro de 2020

Tokaji Eszencia

Quando lemos e estudamos sobre vinhos, há alguns que, pelo alto custo e/ou pela raridade, pensamos: "taí um vinho que nunca vou ter a oportunidade de provar". Foi isso que pensei nas vezes que li a respeito do Tokaji Eszencia: o ápice, o mais raro e caro vinho de Tokaj, na Hungria. Para se ter uma idéia, no Brasil, uma garrafinha de 250mL é vendida por mais de R$3000.

A região de Tokaj, na Hungria, é famosa por seus vinhos doces - Tokaji Aszú - produzidos com uvas botrytizadas. Diferentes percentuais de uvas botrytizadas levam a vinhos de diferentes concentrações, e já não são exatamente baratos.

Mas Tokaji Eszencia é 100% feito de uvas botrytizadas, produzido a partir do "mosto flor", que se acumula no fundo dos barris, quando as uvas são esmagadas pelo próprio peso. Esse mosto é tão rico em açúcar (mais de meio quilo de açúcar por litro), que as leveduras têm extrema dificuldade em fermentá-lo. Por isso, a fermentação leva alguns anos, para atingir um teor alcoólico que mal chega aos 5%. É um vinho de uma concentração ímpar, em açúcar, acidez e sabor.

18 de janeiro de 2020

Anthemis Samos 2011

O grande orgulho dos gregos são seus vinhos doces. Seja fortificado, ou feito de uvas secas ao sol, esses vinhos eram o grande sucesso de exportação durante a Idade Média, e foram os primeiros a ganhar o status de Denominação de Origem Controlada (Ονομασία Προέλευσης Ελεγχόμενη). Há vinhos doces produzidos no continente, e em diversas ilhas. A variedade de uva mais usada e difundida em mais regiões é a Moscatel, dando origem aos vinhos: Moscatel de Patras, Moscatel de Rio Patras, Moscatel de Lemnos, Moscatel da Cefalônia, Moscatel de Rodes, e o mais renomado de todos, Samos.

22 de dezembro de 2019

Etél Rosato di Toscana 2018

Os rosés são vinhos injustamente pouco apreciados no Brasil. Não é o meu caso, eu gosto bastante de vinhos rosés, como é possível verificar no histórico do blog. No entanto, mesmo eu não estou muito propenso a pagar R$186 por um vinho rosé.

Por isso, quando recebi email do lançamento do Etél 2018, não dei muita bola. Mas quando um amigo, que não costuma gostar de rosés, me mandou uma mensagem falando "compra, que é top", eu não podia passar batido.