17 de outubro de 2017

Produttori del Barbaresco 2006

No último texto, comentei a respeito de um Barolo, que representou a região em um painel de vinhos feitos de Nebbiolo, e conforme esperado, foi eleito o melhor da noite. Mas em um painel de Nebbiolos não poderia faltar um Barbaresco; e como era esperado, também fez bonito.

13 de outubro de 2017

Luigi Einaudi Barolo Terlo 2011

Este foi mais um dos vários grandes vinhos que tenho o privilégio de conhecer por participar de uma confraria de vinhos. O tema do encontro foi Nebbiolo, e com alguns exemplares inusitados vindos de fora da Itália. Mas não tem pra ninguém, a terra de excelência da Nebbiolo é realmente o Piemonte, e o maior de todos, o Barolo.

10 de outubro de 2017

Rosé de Malbec em versão francesa

Gosto dos rosés de Malbec argentinos: são uma boa opção quando se busca um rosé um pouco mais encorpado, sem aromas vegetais; e não costumam ter a deficiência na acidez que costumam ter os tintos. Mas como seria um rosé de Malbec francês? Ao ver um selecionado para o Vinhoclube Summer, fiquei empolgado, na expectativa de conhecer como seria a versão produzida na terra de origem da uva.

8 de outubro de 2017

Bacalhôa Moscatel Roxo 2002

Há três anos, tive a oportunidade de degustar o Moscatel Roxo 1998 da Bacalhôa, durante um curso de vinhos portugueses. Desta vez, eu pude tomar o vinho (e não apenas degustar), e apreciando-o mais profundamente. A garrafa me foi trazida sob encomenda por um amigo que visitou Portugal, e a compartilhei em um jantar. Tratava-se do Bacalhôa Moscatel Roxo 2002; 4 anos mais novo do que aquele do curso. Mas as impressões foram as mesmas.