12 de dezembro de 2016

Pasión de Bobal 2013

Em outubro passado, fui a uma degustação realizada na ABS Campinas, com vinhos da Vind'Ame. Esta pequena importadora começou às operações em 2015, prometendo trazer vinhos de pequenos produtores, que expressem seu terroir. Este ano, ela expandiu o portfólio, incluindo vinhos espanhóis, que figuraram na degustação.

Dentre os vinhos apresentados, gostei de dois. Um era um Tempranillo leve, sem grandes pretensões, bom para acompanhar uma pizza. Mas o que realmente me chamou a atenção foi o Pasión de Bobal 2013. Acho que foi a primeira vez que tomei um vinho 100% Bobal. Certamente, é a primeira vez que comento a respeito de um vinho dessa uva, aqui no blog.


Bobal

Apesar de ser pouco conhecida, a Bobal é a terceira mais cultivada na Espanha, perdendo apenas para a Airén (outra ilustre desconhecida), e a Tempranillo. Assim como a Airén, ela é resistente a secas, e de maturação tardia, sendo portanto muito bem adequada às condições climáticas dos planaltos no centro da Espanha (principalmente em um passado recente em que a irrigação não era autorizada).

Ela tem pele grossa, com bastante matéria corante (antocianinas) e taninos, além de alta acidez. Por outro lado, possui produtividade muito alta, o que lhe rendeu a fama de um varietal de baixa qualidade. Por isso, tradicionalmente, ela é mais usada como um componente de corte, para fornecer mais cor e acidez a outros vinhos. Mas alguns produtores espanhóis vêm mostrando que, se seu rendimento for controlado, ela é capaz de gerar vinhos de qualidade.

Ela é muito cultivada nos planaltos do Levante (Murcia e Valencia), e também em Castilla-La Mancha (principalmente em Manchulela). Mas é na confluência entre essas duas regiões - na DO Utiel-Requeña - que ela atinge o ápice. Neste planalto de altitudes entre 700 e 900 metros sobre o nível do mar, com muito sol, e grande amplitude térmica entre dia e noite, a Bobal encontra suas condições ideais de maturação, e é a protagonista da DO, gerando vinhos tintos e rosés.

Vinhedos sexagenários

O Pasión de Bobal é um exemplo da qualidade que a casta pode conseguir, se feito o controle apropriado no vinhedo. Ele é produzido pelas Bodegas Sierra Norte, uma empresa com sede em Requeña. É uma sociedade formada em 1999, a partir da fusão de três empresas familiares. De uma delas, a nova sociedade herdou vinhedos de Bobal plantados na década de 1950, em Camporrobles, dentro da DO Utiel-Requeña. São vinhedos localizados 920 metros de altitude, em um local de clima quente e seco, mas com grande amplitude térmica, com variação de 20ºC entre o dia e a noite.

Este vinho tem origem nesses vinhedos, hoje com mais de sessenta anos, e que são cultivados de forma ecológica desde a década de 1980. A colheita é manual, e ocorre em fins de outubro, já que a Bobal possui maturação tardia. As uvas passam por maceração pré-fermentativa a frio para realçar o caráter frutado, fermentam em tanques de inox, e posteriormente são transferidos para barricas francesas, onde passam pela fermentação malolática, e estagiam por 6 meses.

Ele possui cor rubi com reflexos violáceos, com lágrimas que tingem a taça. O aroma é predominantemente frutado, com frutas vermelhas maduras, somado a notas tostadas e de especiarias. Tem corpo médio/alto, com boa acidez, bom volume, álcool equilibrado, taninos de intensidade média/alta, agradáveis, e um leve toque herbáceo à boca. É estruturado e agradável, e corrobora que se trata do resultado de um cultivo focado em qualidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sintam-se livres para comentar, criticar, ou fazer perguntas. É possível comentar anonimamente, com perfil do Google, ou com qualquer uma das formas disponíveis abaixo. Caso prefiram, podem enviar uma mensagem privada para sobrevinhoseafins@gmail.com.