9 de junho de 2018

Baron Knyphausen Riesling Trocken 2013

A importadora Vind'Ame, que começou as operações em 2015, têm uns Rieslings muito top em seu portfólio - de pequenas produções, orgânicos, gabaritados, e na maioria, classificados pela VDP. Isso tudo faz com que eles sejam meio caros, um pouquinho além do que eu estou disposto a pagar. Mas em fevereiro deste ano, a importadora lançou a operação de venda direta via e-commerce; e como promoção, ofereceu 30% de desconto em todo o portfólio, para os primeiros 100 clientes. Aí, alguns vinhos ficaram com preços bem mais acessíveis, e eu aproveitei pra comprar 2.

Um deles foi o Baron Knyphausen Riesling Trocken 2013, que saiu de R$179 por R$125. O nome da vinícola vem dos Barões de Knyphausen, que a adquiriram em 1818. No entanto, ela já produzia vinho desde 1141, quando pertencia ao monastério Eberbach. A propriedade está na região da Renânia (Rheingau) e produz 130 mil garrafas por ano, dentre os seus diversos vinhos.


Este Riesling seco recebe a classificação VDP Gutswein. Conforme ja comentei aqui, VDP é uma associação das melhores vinícolas alemãs, e possui regras muito mais restritivas que a legislação do país, para garantir a qualidade dos vinhos classificados por ela. As uvas devem ser provenientes de vinhedos próprios, deve ser vinificado na própria adega, têm critérios mais exigentes quanto a rendimento e nível de maturação dos frutos, além de aplicar agricultura ecologicamente sustentável. Os vinhos classificados pela VDP vêm com o símbolo da águia na cápsula que veda o bico da garrafa, e nunca decepcionam.

Eu abri o Baron Knyphausen para acompanhar um haddock defumado ao creme de limão, que a Thais preparou, servido com purê de batatas com raspas de limão, e com um fio de azeite trufado. O creme, a base de creme de leite e manteiga, deixa o prato intenso, muito rico, e facilmente faz a maior parte dos vinhos brancos parecerem água. A melhor aposta são bons exemplares de Riesling alemão, e o vinho fez bonito.


Apesar de 5 anos, ele não demonstra tanta idade. Tem cor amarelo-palha, de baixa intensidade. Nos aromas, frutas de caroço e cítricas, maduras, além do característico petrolato, presente e bem equilibrado. Na boca, tem bom corpo, a intensidade de sabor necessária para acompanhar o prato, a acidez para balancear o peso do creme; e o final de boca, com boa persistência. O vinho mostrou, diante do prato, todo o seu potencial. Valeu cada centavo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sintam-se livres para comentar, criticar, ou fazer perguntas. É possível comentar anonimamente, com perfil do Google, ou com qualquer uma das formas disponíveis abaixo. Caso prefiram, podem enviar uma mensagem privada para sobrevinhoseafins@gmail.com.