19 de setembro de 2012

Minha experiência com uma mala para vinhos

Cansado de ter estresse na hora de voltar de viagem carregado de vinhos, resolvi investir em uma mala específica. Optei pela Tecnomalas - também conhecida por Maligan - onde fiz o pedido para uma mala de 15 garrafas, com cantoneiras de metal, 4 rodas giratórias e fechos borboleta, que em abril deste ano saiu por R$1062,00. E ela chegou antes do prazo prometido. A mala, pesada, parecia uma rocha por fora, e com muito acolchoamento interno.

Levei-a na viagem para Portugal, e já na ida, com a mala ainda vazia, ela chegou ligeiramente amassada na borda lateral. Isso dificultava um pouco para fechá-la novamente, mas dava para seguir viagem.

Ela tem largura interna de 35 cm, feita para acomodar garrafas de espumantes, ligeiramente maiores que as garrafas de vinho comuns. Os espumantes de fato couberam perfeitamente, mas tanto as garrafas de Vinho Verde e Arinto de Bucelas (que são do estilo das alsacianas, muito altas) quanto a do vinho licoroso de Pico eram altas demais para se colocar na mala da maneira convencional. Mas sem problemas, como as almofadinhas internas - usadas para separar as garrafas - são removíveis, alterei a disposição padrão, para colocar quatro garrafas atravessadas, como na imagem abaixo.


As garrafas chegaram todas em perfeitas condições em casa, mas não a mala, em si. O amassado que havia se iniciado na ida aumentou, e pra piorar, uma das rodinhas ficou torta. Com o novo amassado, ficou impossível fechar a mala novamente.


Como o produto está na garantia, entrei em contato com o fabricante. Ele me explicou que, como o dano foi causado enquanto a mala estava sob responsabilidade da companhia aérea, supõe-se mal uso por parte da mesma, pois os funcionários dela não costumam ter cuidado com as malas. De qualquer maneira, o representante se comprometeu a repará-la. Amanhã, vou enviá-la pelos correios para a empresa. Espero que o custo do envio não seja excessivamente caro, pois da companhia aérea, ainda não obtive resposta.



Textos relacionados

8 comentários:

  1. Prezado Sr Rodrigo,

    As nossas malas seguem um rígido processo de fabricação e controle de qualidade, pois somos revendedores da marca Maligan, fabricante de malas e cases técnicos com mais de 34 anos de experiência e tradição no mercado.
    A mala saiu de nossa empresa em perfeito estado e foi realmente detectado, inclusive em conversa telefônica, que o dano causado somente na roda e perfil de fechamento da mala, foi pelo impacto no Aeroporto e não mau uso do Rodrigo, mas sim pelo manuseio grosseiro praticado nos aeroportos, já de ciência de todos nós usuários deste precário serviço.
    O mais importante é que a mala é comprovadamente resistente, tanto que o mais importante de tudo, e pelo qual ele comprou a mala, que é a perfeita proteção e transporte de seus vinhos, ocorreu, pois ainda que danificada a roda e perfil, os vinhos não sofreram dano algum e estão em perfeito estado, comprovando a finalidade e eficácia de nosso produto.
    Sabemos dos problemas que enfrentamos nos aeroportos do mundo todo, onde não há cuidado algum na manobra e transporte das malas que acabam sempre sendo danificadas/quebradas, por mais resistentes e reforçadas que sejam as mesmas.
    O que costumamos orientar aos nossos clientes é já no momento do desembarque revisar a mala e detectada a quebra, já acionar a companhia aérea para o reembolso dos danos, o que quase sempre é feito sem problemas.
    Em momento algum nos negamos a reparar a mala, porém precisamos que a mesma nos seja enviada para os devidos reparos e mais uma vez reforçando que não se trata de um defeito de fabricação, pois foi um acidente causado no aeroporto.
    Nossas malas tem garantia de um ano contra defeitos de fabricação e assistência técnica permanente.
    Independente se é reparo de garantia ou não, precisamos que a mala para analise e os devidos reparos.
    Nos mantemos à disposição para maiores esclarecimentos se necessário.

    Controle de Qualidade – Tecnomalas.
    www.tecnomalas.com.br

    ResponderExcluir
  2. Enviei a mala para o fabricante, e ela já está de volta.

    O mais difícil no envio foi conseguir uma caixa para despachar pelos correios, pois eu não tinha guardado a que veio com a mala, e as lojas que eu encontrei não tinham caixas grandes o suficiente. Por sorte, chegou um morador novo no prédio, e eu usei uma das caixas da mudança dele. E o valor para enviar para os correios, por Sedex, foi de R$67,00. Por PAC não ia ser tão mais barato, por isso escolhi Sedex, mesmo.

    Após o envio, rapidamente a mala chegou no fabricante, que me avisou por email, e reparou a mala, e em dois tempos ela já estava de volta, pronta para a próxima viagem. Mas agora que eu sei que a mala pode voltar a se amassar, não sei o que posso fazer para impedir que ela se amasse novamente, nas mãos da companhia aérea.

    Aliás, da companhia aérea tudo o que eu obtive de resposta foi que em 5 dias úteis iriam entrar em contato comigo para solucionar o meu problema. Recebi esta resposta por 2 vezes, a última já faz mais de um mês. Portanto, apesar do mal entendido no primeiro contato com a Tecnomalas, se não fossem eles, eu ainda estaria com a mala inutilizável. Obrigado à empresa pela assistência técnica.

    ResponderExcluir
  3. Parece que tentaram abrir sua mala ;-) Fiquei curioso com a quantidade de vinhos que trouxe na mala. Não teve que pagar excesso ou imposto?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, como a rodinha estava muito torta, eu suponho que ela tenha sido jogada e caiu com a rodinha, e pelo impacto, o friso acabou entortando junto. Mas pode ser que tenham tentado abri-la. Se foi o caso, tentaram na ida (com mala vazia) e na volta, e em ambos os casos, não conseguiram.

      Eu trouxe 10 garrafas de 750mL, 2 de 500mL, 4 de 375mL.

      Na mala, cabem 15 garrafas de 750mL, e com peso total, pesa 32 Kg, o que fica dentro do limite de excesso de bagagem. Minha configuração tinha um pouco menos de peso ainda, portanto, não precisei pagar excesso.

      Também não precisei pagar impostos, pois o limite da receita são 12 litros de vinho (16 garrafas grandes), ou US$500, por pessoa. Os preços dos vinhos que eu trouxe me deixaram tranqüilamente abaixo do limite, mas se precisasse, eu poderia contar com o limite da minha esposa, que estava comigo.

      Qualquer outra dúvida, pode perguntar.

      Excluir
  4. Que ótimo, isso me deixou animado :-)

    ResponderExcluir
  5. Ao viajar na Europa, traga 12 garrafas de vinho no avião com nossa bagagem especial para vinhos. www.lazenne.com

    ResponderExcluir
  6. Olá Rodrigo.
    Irei viajar com meu marido para a ´tália e estávamos pensando em comprar justamente a mala para 15 garrafas da Maligan. Gostaria de saber se, neste período, já teve algum relato de outra marca melhor que não apresentou problemas durante a viagem.
    Desde já, agradeço a atenção.
    Luciane

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luciane, desculpe pela demora em responder, mas este fim de semana foi sobrecarregado.
      Eu tenho notícia de outras duas marcas de mala específicas para vinho, no mercado brasileiro. No entanto, não conheço ninguém próximo que pudesse me relatar sobre a qualidade ou problemas nessas marcas.
      E essa minha mala, por mais que eu tenha tido inconvenientes, ela segue em uso. Tem algumas pequenas avarias pelo uso ao longo dos anos, mas segue 100% operacional, já realizou muitas viagens, e os vinhos sempre chegam 100% intactos.

      Excluir

Sintam-se livres para comentar, criticar, ou fazer perguntas. É possível comentar anonimamente, com perfil do Google, ou com qualquer uma das formas disponíveis abaixo. Caso prefiram, podem enviar uma mensagem privada para sobrevinhoseafins@gmail.com.