12 de setembro de 2014

Nomad Pinot Grigio 2012, de Aurelia Vişinescu

No final de 2012, eu havia recebido, pela Sociedade da Mesa, meu primeiro vinho da Romênia: o Nomad Fetească Neagră.

Este mês, foi a vez de outro clube de vinhos, a Winelands, trazer vinhos deste país que, como vários outros dos Bálcãs, pouco conhecemos, mas que possuem grande tradição vinícola. E entre os que o clube trouxe este mês, o branco é produzido pela mesma empresa, e mesma enóloga. O vinho é o Nomad Pinot Grigio 2013.


Nomad é uma das linhas da vinícola Domeniile Săhăteni. Aurelia Vişinescu é a enóloga e co-proprietária, mas seu nome se sobressai em relação ao da empresa. Basta colocar o nome dela no Google, e encontramos muitas reportagens sobre o sucesso que ela e seus vinhos têm feito[*][**].

No entanto, apesar de eu ter achado o tinto deveras interessante, este branco não foi o meu estilo. Vinho encorpado, aparentemente feito com uvas sobre-maduras, que me parece ter buscado um estilo 'internacional' (estadunidense) para esta uva. O aroma denuncia frutas em compota, e notas de melado. Ao colocá-lo na boca, até começa fresco, com a acidez fazendo salivar, percebe-se um grande volume de boca, sensação de untuosidade - provavelmente mais por causa do álcool do que resultado do estágio de 3 meses sobre as borras - mas no final, o álcool (13,5%) predomina. Nem esfriando, nem esquentando, não achei a temperatura que fizesse o álcool parar de incomodar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sintam-se livres para comentar, criticar, ou fazer perguntas. É possível comentar anonimamente, com perfil do Google, ou com qualquer uma das formas disponíveis abaixo. Caso prefiram, podem enviar uma mensagem privada para sobrevinhoseafins@gmail.com.